,Vamos falar sobre políticas públicas e pessoas que vivem com HIV/AIDS?

Por Roney Rodrigues do Monte

Roney viralizou nas mídias digitais e juntos conhecemos o acerto e extensão de sua fala e pensamento. Assuntos urgentes para o século que se inaugura há poucas décadas...
Roney viralizou nas mídias digitais e juntos conhecemos o acerto e extensão de sua fala e pensamento. Assuntos urgentes para o século que se inaugura há poucas décadas…

Vivo com HIV há mais de 4 anos e, mesmo consciente que estou indetectável, que significa ser intransmissível, parei completamente minha vida sexual, e não por medo de infectar alguém, mas por medo da rejeição. O medo veio no momento que decidi contar para todas as pessoas com quem me envolvia ou relacionava, mesmo que casual, sobre o HIV e perdi a conta das rejeições e situações de preconceito que vivenciei por conta disso.

A sorofobia ainda é uma realidade no Brasil e só quem vive com HIV sabe o que é lutar contra a discriminação por condição sorológica, mostrando a sociedade que não somos “aidéticos” e que não vivemos mais nos pesadelos culturais dos anos 80. O estigma e preconceito afeta drasticamente a vida de pessoas que vivem com HIV e AIDS, seja pela ausência de políticas públicas concretas para além de remédios, que envolvam emprego, moradia e direito à cidade, seja pela negação do direito ao amor e ao afeto que nós, pessoas com HIV, sofremos todos os dias.

Precisamos entender também que as pessoas que lutam em prol de políticas públicas relacionadas ao HIV não precisam expor sua condição sorológica. Algumas pessoas se sentirão confortáveis para fazê-lo. Outras, não. O mais importante é, sempre nestes espaços, valorizar o lugar de fala daquelas pessoas que, de forma voluntária, irão expor a sua condição sorológica como parte de seu engajamento político.

Falar sobre HIV gera um pânico moral nas pessoas. O HIV e a AIDS não são um problema das pessoas que vivem com HIV/AIDS, mas da sociedade que insiste em excluir, afastar, coagir, amedrontar, envergonhar, humilhar e violentar quem vive nessas condições.

Muitas pessoas acham que engajar-se politicamente nessa causa envolve apenas o cenário de políticas públicas de saúde (medicação antirretroviral – e não “coquetel”, tá, gente? -, atendimento especializado etc). Isso é muito importante de ser permanentemente defendido, especialmente em tempos de constantes tentativas de desmonte do SUS. Mas o engajamento político não para por aí.

É importante lembrarmos sempre da importância dos recortes sócio-econômicos do grupo das pessoas que vivem com HIV. É preciso lutar mais por temas como: gratuidade no transporte público ou, pelo menos, auxílio para que pessoas de baixa renda possam ter acesso às farmácias e às consultas; Subsídios para uma alimentação de qualidade para essas pessoas, entendendo que a alimentação também deve ser entendida como política de saúde; Aumento de políticas trabalhistas e previdenciárias, para valorizar cada vez mais a inclusão dessas pessoas no mercado de trabalho, caso não se aposentem antecipadamente; E, também, políticas educacionais que defendam a diminuição do preconceito e do estigma contra as pessoas que vivem com HIV.

Precisamos falar MUITO mais sobre HIV, é importante falar sobre #HIV e #AIDS, principalmente no país que vivemos e com o governo da morte que temos né? Enquanto pessoas vivendo com HIV e AIDS forem usadas como bode expiatório, não haverá avanços contra a sorofobia!

Importante lembrar: HIV é diferente de AIDS e Indetectável = Intransmissível. Vamos se informar melhor sobre HIV, o tratamento e a vida das pessoas. E lutar pelas políticas públicas! É importante que ouçam e apoiem a luta das pessoas vivendo com HIV e AIDS para que possamos viver em ambientes mais saudáveis. E não precisa ter HIV para lutar contra a sorofobia!

Agradecemos pela leitura de nosso ensaio.

,Sobre o autor:

Roney Rodrigues – Nasceu em Teresina-PI, cresceu e foi criado em Cabeceiras do Piauí, Coordenador da Associação Cultural ProSarau, Mobilizador de Adolescentes e Jovens pelo Selo Unicef, escritor, artista-educador, ator e produtor cultural. Atualmente cursando Ciências Humanas/Sociologia na Universidade Federal do Maranhão (UFMA). 

Instagram: @ronneyrodriguez

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s