,O Brasil que Deu Certo! – Entrevista com Matheus Laneri

Por Marcio Tito.

Revisão: Aline Machado

O Brasil que Deu Certo! Central de memes e cultura popular brasileira!
O Brasil que Deu Certo! Central de memes e cultura popular brasileira!

Formatos digitais quase sempre surgem já antecipados pela atmosfera das coisas efêmeras e passageiras. No caso de uma página que inscreve seu conteúdo no feed de notícias das contas Facebook de dois milhões de usuários, a impressão que fica é: sem dono, sem lei, sem padrão e irrastreável.

Poucos (pouquíssimos!) são os veículos que reconfiguram esse panorama tão particular ao convívio de internautas mais ou menos interativos nas redes ou, todavia, mais ou menos frequentadores do espaço digital.

Um meme, essa força de fazer caber em uma imagem (com ou sem legenda) uma expressão de humor, seja parodiando algo, insinuando situações ou nos apresentando coisas que todos compartilhamos em nosso cotidiano, unindo discurso visual e linguagem escrita, há pelo menos duas décadas ocupa boa parte dos feed de usuários comuns.

O BRASIL QUE DEU CERTO, central de memes à brasileira, que formata diariamente o nosso imaginário brasileiro, apresentando situações cujo efeito nos faz atingir uma brasilidade única, singular e intransponível e, de modo marcante para muitos usuários das redes nos anos mais recentes, um dos mais extraordinários casos de assinatura digital e conteúdo polissêmico.

O BRASIL QUE DEU CERTO pode rapidamente ser associado a uma foto de perfil que especifica com conceito visual, por meio de uma sempre simples logomarca em cores vibrantes e dizeres em português.

Curioso com esta conquista para a linguagem das redes e apresentando pela primeira vez o Humor enquanto produção de conteúdo para o nosso Acervo, entrevistei Matheus Laneri, companheiro de marca de Ciro Hamen.

Já me alongando, deixo aqui o meu encantamento não com a qualidade das respostas de Matheus, que sendo excelente comunicador só poderia mesmo falar com a clareza que fala, mas sim com o posicionamento de suas falas, que indicam um espaço além-meme, e pontualmente engajado em produzir uma embalagem inteligente e social para esse produto da cultura digital.

Antes de ler a nossa entrevista visite a página O Brasil que Deu Certo no facebook https://www.facebook.com/obrasilquedeucerto , além de dar algumas risadas, você conhecerá melhor o conteúdo aqui debatido!

MT – Matheus! O que eu quero investigar contigo é a política do “Brasil que Deu Certo”, o tratamento que vocês apresentam na hora de embalar o meme, o teor social, o cuidado em trazer uma exaltação de Brasil e nunca desmerecendo o mesmo por suas singularidades. Qual a sua percepção nessa direção?

Matheus – Vamos lá! A principal função do “Brasil que Deu Certo” é mostrar o país de uma forma irreverente. Mostrar o Brasil da forma que ele é. Enxergamos o Brasil com uma visão estrangeira: feijoada, caipirinha e Rio de Janeiro, e isso é um senso-comum. É coisa para gringo ver. Isso não quer dizer que a feijoada não faz parte do Brasil, mas quer dizer que o brasileiro é um povo que faz meme durante as eleições, e é aquela pessoa que consegue ver com bom-humor certas situações e acaba criando situações que só poderiam acontecer aqui, conosco.

O Brasil que Deu Certo é um projeto, uma página nas redes, enfim, que mostra o país da forma que ele é (para positivo, para negativo). Por exemplo, a gente pode mostrar uma situação que envolva o “jeitinho brasileiro” e isso às vezes é engraçado – uma gambiarra, por exemplo rs. Embora uma gambiarra possa infringir uma lei, né? Isso é uma outra questão que trabalhamos no Brasil que Deu Certo: as nossas postagens não possuem legenda. Isso porque a gente deixa em aberto para que cada um analise como pode entender.

Alguém pode ver a gambiarra como positivo, como crime, como algo bacana, ou até mesmo dizer que faria da mesma forma. 99% do nosso conteúdo não tem legenda. Bom, você falou de um aspecto político também, é, sabemos que tudo o que nos envolve é político e é política.

Gosto de citar muito um exemplo! Um cara sentado numa maca, com soro, tomando medicação e, ao mesmo tempo, tomando uma cerveja. Aquilo é engraçado e só poderia acontecer no Brasil, mas se você para um pouco para olhar, você fica deprimido. A saúde no Brasil fracassou, entende? E a gente acaba trazendo tudo isso enquanto cultura popular brasileira. E por “política” eu não estou fazendo uma crítica direta ao presidente Bolsonaro, mas sim questões de saúde pública, sociais e tudo o que envolve o campo político brasileiro.

O nosso projeto apresenta os fragmentos de um Brasil inteiro. Mostrando como somos. Mas tentando trazer um lado mais positivo…

Antigo logo da marca, reformulado em 2020 O Brasil que deu certo meme memes
Antigo logo da marca, reformulado em 2020

MT – Puxa! Impressionante a coerência. Eu, enquanto público, já suspeitava que havia um pensamento antropológico por trás das imagens, mas confesso que nunca imaginei que tão bem organizado. É muito bacana ver esse nível de proposta em um conteúdo digital. A curadoria de vocês, sem produtos autorais, tem sempre uma assinatura e isso é muito bacana. Adorei saber isso sobre as legendas, que acabam ficando numa disputa de likes entre os leitores que comentam o conteúdo. Bom… Qual o seu papel dentro da marca e como é que começou essa história?

Matheus – Não temos direitos sobre nada. O conteúdo do Brasil que Deu Certo é colaborativo! As pessoas nos enviam e só o que é nosso conteúdo é o que produzimos para o Youtube, e mesmo lá a gente acaba monetizando conteúdos que não são tão nossos, mas é uma outra situação.

A marca começou em 2015 e quem criou foi o Ciro. No início era apenas no Youtube e o Ciro tinha a intenção de desenvolver entrevistando pessoas que são as personagens desse Brasil. O nome do projeto surgiu quando o técnico da seleção, o Parreira, disse que a CBF era o Brasil que tinha dado certo. E isso é um absurdo para quem conhece a CBF! O Ciro então pegou o sentido dessa frase e tornou em algo positivo e quis ir atrás de pessoas que realmente fazem um Brasil que dá certo.

Ele não conseguiu levar o canal como queria na época porque ele queria fazer entrevistas por vídeo e isso foi ficando complexo. Por não conseguir atualizar o canal como seria o mais ideal, ele passou a postar o conteúdo em uma página que seguisse a ideia inicial, criada por ele. Então, um canal no Youtube começa tudo, e hoje o mesmo canal está reformulado, e foi reformulado com a minha chegada no Brasil que Deu Certo.

Eu não conhecia o Ciro! Amigos em comum nos apresentaram e vimos que gostávamos das mesmas coisas e de Cultura Popular Brasileira! O Ciro havia criado o canal em 2015 e eu entrei em 2016 para ajudar a formular o canal e também para tocar as outras redes. Eu sou jornalista de formação, mas nunca exerci a profissão dessa forma, fiz alguns freelas, mas basicamente trabalhei muito mais no campo publicitário e também na área de vídeo de um hospital.

MT – Continuo achando um voo a incrível ideia de vocês, que você atinge dois milhões e algumas centenas de milhares de pessoas. Ainda que com sua fala tão nítida, ficam algumas dúvidas, Matheus. O sucesso vai para muitos lados, né? Desde pessoas que colocam vocês em pedestais que vocês não esperavam, ou mesmo pessoas que entenderam o trabalho de modo inadequado. Como tem sido essa relação?

Matheus – Olha, pra ser bem sincero, o Brasil que Deu Certo pode ser entendido em muitos níveis, pessoalmente, nem é o que mais me importa. Bizarro, né? Mas quando alguém nos chega dizendo que a página mudou a vida dela, que o nosso trabalho ajudou na hora de enfrentar o isolamento da pandemia, ou gente que estava em depressão e nos enviou mensagem dizendo que trouxemos alegria, ainda que possa parecer piegas ou clichê, é algo muito gratificante! Inimaginável! E deixa a gente muito feliz.

Com relação às coisas negativas, vivemos uma polarização na política brasileira e o Brasil que Deu Certo é esquerdista sim. A gente sempre diz que o Brasil que deu realmente certo foi no governo do presidente Lula. Temos panos de prato, na nossa lojinha, à venda e elogiando o Lula e falando mal do Bolsonaro. É o nosso lado no espectro político da coisa. Então tem gente que reclama, que diz que queria só ver os memes. Mas, olha, estamos batalhando desde 2015! E aí uma pessoa que aparece e não entende isso?

A gente gosta do Lula e da Dilma sim! A gente quer que o Bolsonaro vá pra casa do caralho! Aí dizem que temos que “zuar” os dois lados? A gente faz o Brasil que Deu Certo da forma que a gente acredita!!

MT – Além da simpatia, você compila muito bem as informações. Muito obrigado! Considero sobrevoado o formato de vocês e as configurações do Brasil que Deu Certo. Acho que vocês inauguram a Era Moderna da Internet Brasileira! Manda um abraço ao Ciro!

Matheus me responde com um sorriso do músico Ed Motta e terminamos a nossa conversa.

Eu, diante da tela, mais uma vez me pareço com algo sem nome e sem rosto. Estou feliz e sentindo coisas coletivas. As pessoas jovens desse país, os comunicadores desse pedaço do mundo, realmente têm mostrado um valor extraordinário na lida com seu tempo. Seja com seus artistas ou intelectuais, diante de um projeto tão bem armado e com desejos tão inclusivos, só posso aplaudir a tela do meu app e correr para transcrever essa fala.

Que grande aventura essa nossa… não?

Agradecemos por ler a nossa entrevista.

Matheus Laneri é Distribuidor + Gerador de memes e está nos canais @obqdc e @manchetejornabr / @matheuslanieri.

Youtube: https://youtube.com/c/obrasilquedeucerto

Facebook: https://www.facebook.com/obrasilquedeucerto

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s